“Não basta todos os benefícios, verbas, salário, ainda querem ficar mais tempo de folga ? ”. Barbosa escorregou nessa





Verdade seja dita: o deputado estadual Ricardo Barbosa (PSB) colocou a “cara” para bater quando propôs ampliar o recesso parlamentar, do meio do ano, de 15 para 30 dias. Ninguém defendeu publicamente o aumento do benefício como ele. Na outra frente, um voto isolado da deputada Estela Bezerra (PSB), contrária à proposta. Apesar de o argumento ser de alguma forma “moralizador”, já que a ideia é a regulamentação do que já acontece com jeitinho, a matéria segue numa contramão danada. O deputado bradou que não será acuado pela imprensa, que tem criticado a proposta. Mas essa não é a questão.
A imprensa, com todas as suas distorções, tem apenas reproduzido um sentimento coletivo. Amplificado vozes de quem espera mais do parlamento. Porque, de fato, o que está fazendo diferença na hora de condenar essa proposta não são 15 dias de julho, mas boa parte do ano. Converse com qualquer pessoa na rua. Os comentários mais comuns serão: “eles querem mais dias de folga?”. Ou: “não basta todos os benefícios, verbas, salário, ainda querem ficar mais tempo sem trabalhar?”.
Quem acompanha a AL e o trabalho do parlamentar fora do plenário sabe que a impressão do senso comum é um tanto exagerada. Mas só um pouco. É que todo mundo esperava mais. Boa escolaridade, conhecimento da realidade do estado, jovialidade e experiência juntos não foram suficientes para ver uma proposta como essa de Barbosa ser contestada. Derrubada, sem que a opinião pública, ou a imprensa, como queiram, precisasse condenar.
O que a população desse estado quer é um parlamentar que lute para que normas e leis sejam cumpridas. A começar por aquelas que orientam seus trabalhos. Barbosa está propondo o fim da enganação e a oficialização de um privilégio que não cabe mais na sociedade de hoje. Ativa, conectada, dinâmica, que espera resultados, ações concretas, planejamento, projetos, execuções, fiscalização. Por incrível que pareça, alguns parlamentares já perceberam que esse hiato é prejudicial aos verdadeiros projetos “republicanos”. Falta só agir com ousadia para sair da zona de conforto e aproveitar as oportunidades. Estela Bezerra tem aproveitado. Com posturas firmes e argumentos seguros é cada vez mais respeitada. É uma novata que fala como se tivesse anos de “guerra” no Parlamento. Barbosa que vai bem, escorregou nessa.
Não é só um recesso longo que entala a garganta de quem exige mais dos parlamentares, mas a postura nos dias em que deveriam priorizar os debates, as votações, as discussões. Apenas alguns dias, em algumas horas, para expor o trabalho que está sendo feito nos bastidores, em outros horários. A imprensa está cada vez mais atenta à produção dos deputados e eles não se tocaram da importância desse movimento.
A população acompanha e ainda espera por atitudes mais efetivas para mudar a imagem ruim que ela tem da política feita na AL. Hoje, o presidente Adriano Galdino (PSB) conversa com os colegas sobre os trabalhos no plenário.
Temos velhos comportamentos numa sociedade nova. Parlamentares experientes com posturas ultrapassadas; novos deputados contaminados com velhas práticas; bons parlamentares com posicionamentos frágeis. Óbvio que não estou generalizando e uma autorreflexão, com capacidade de ouvir críticas, são sempre essenciais. Saber recuar também é honroso.
Cerimônia
O ator Matheus Nachtergaele será o mestre de cerimônia da inauguração do Teatro do Centro de Convenções, segundo o secretário de Comunicação da PB, Luis Torres.
Painel
Ele confirmou também, ao jornalista Adelton Alves, que um painel com mais de dois mil nomes dos trabalhadores e pessoas envolvidas na construção será entregue.
Estratégia
O secretário colocou – estrategicamente – na “mão” da população a decisão de uma candidatura do PSB, em JP, em 2016. “Mais perto, ela vai decidir se ela quer ou não”.
Nomes
Entre os nomes que aparecem como sugestão para disputar a prefeitura pelo PSB, segundo Torres, estão: Estela, João Azevedo e Tibério Limeira (do Empreender).
Embate e denúncia
Os deputados Doda de Tião (PTB) e Manoel Ludgério (PSD) protagonizaram um embate na AL, ontem. E olha que Ludgério nem estava lá. Uma briga provinciana motivou as alfinetadas. Mas foi uma denúncia que Doda fez que chamou atenção. Afirmou que, quando era secretário estadual de Articulação Municipal, Ludgério fechou convênio com um ex-prefeito de Barra de Santana (cunhado dele), transferiu os recursos, mas as obras não teriam sido realizadas.
Frase
Disse Doda: “Comeram o dinheiro, tem obra lá que não fizeram 10%, ele pagou 70% a 80%, comeram o dinheiro e as obras estão lá inacabadas”, cravou.
Negou
Manoel negou as acusações de desvio. Também negou que esteja cortejando o governo para voltar à base aliada, como disse seu “algoz” lá na região de Queimadas.
Representação
O deputado Ricardo Barbosa representará a AL na Conferência Legislativa Internacional, semana que vem, nos EUA. Registrou que viaja com recursos próprios.
Programação
Na programação, reuniões temáticas sobre suprimento de energia, inovação em Sistemas Estaduais de Saúde e palestras sobre política energética.



Laerte Cerqueira/Polêmica PB
“Não basta todos os benefícios, verbas, salário, ainda querem ficar mais tempo de folga ? ”. Barbosa escorregou nessa “Não basta todos os benefícios, verbas, salário, ainda querem ficar mais tempo de folga ? ”. Barbosa escorregou nessa Reviewed by ´Blog do Erivaldo Guedes on 02:51 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.