EDILMA E EDIVAN: Uma faca; dois destinos


A história dos migrantes nordestinos, que viajaram juntos do sertão da Paraíba para buscar uma vida melhor em São Paulo é agora um caso de morte, polícia, júri, teses e debates sobre violência doméstica e feminicídio.

 Ainda há muito o que ser investigado sobre os últimos instantes e o que de fato aconteceu entre os jovens Edivam Celestino de Oliveira, de 30 anos e Edilma Santos Barbosa, de 26. Após ouvir uma briga do casal os vizinhos chamaram a polícia, que encontrou a esposa morta e o marido gravemente ferido.

 Fatos e versões-A princípio temos ao menos dois lados da mesma história: defesa e acusação. Cada um, mesmo que baseados em legítimos laudos, perícias e na provável reconstituição da cena do crime, produzem versões tão opostas como óleo e água.

Além das teses da acusação e da defesa a todo instante surgem novas versões, fofocas, resenhas e desfechos para o caso.

 Pacato cidadão-De acordo com o advogado Paulo Chaves, o indiciado estava em um dia normal de sua rotina. Acordou cedo foi trabalhar e estava de volta a sua casa apenas para almoçar. Ainda de acordo com a defesa, o acusado não tem nenhuma passagem pela polícia, registro de violência e também não há registro de nenhuma queixa por parte da vítima. Edivan presta serviço em uma contratada da secretaria de serviços públicos da Prefeitura.

Não procede-“Tem muita coisa que não foi O Edivam que disse. Até porque a gravidade do ferimento na garganta o impede de falar. Quando estiver recuperado ele vai responder a todas as perguntas, seja para a delegada ou em juízo. Já fez esta solicitação formalmente”.

 Júri popular-A decisão sobre o caso caberá a um Júri Popular, previsto para um único conjunto de crimes, que são os crimes dolosos contra a vida, sejam eles tentados ou consumados. Na prática, são os crimes intencionais de homicídio, infanticídio, aborto ou participação em suicídio.

Composição do Júri-Cada vara criminal possui uma lista de pessoas da sociedade civil que podem fazer parte do sorteio de participação do júri popular. Se você está com suas obrigações eleitorais e militares em dia, por exemplo, pode ser indicado para a lista. Quando há um Júri Popular prestes a ser realizado, representantes do Ministério Público, da OAB e da Defensoria Pública se reúnem para assistir ao sorteio de 25 pessoas e garantir a imparcialidade na seleção.

A jovem Edilma, foi sepultada nesta sexta-feira(31), em Assunção-PB, apesar de estarrecida a população, apenas manifesta solidariedade, enquanto procura saber, de fato, o que verdadeiramente aconteceu. Foi neste clima que os familiares de Edivam e Edilma participaram da despedida. 

Quem desferiu o primeiro golpe? 

O que de fato motivou a briga? 

Feminicídio, ou legítima defesa? 

Crime passional ou premeditado?


Redação com Acontece
EDILMA E EDIVAN: Uma faca; dois destinos EDILMA E EDIVAN: Uma faca; dois destinos Reviewed by Guedes Erivaldo on 05:04 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.